dicas · espiritualidade e vida cristã · fragmentos

Amigos

Ágape é o amor divino. Eros é o amor dos amantes. Phileo é o amor dos amigos. Ágape é o amor mais resistente. Eros é o amor mais intenso. Phileo é o amor mais singelo. Ágape é o amor eterno. Eros é o amor efêmero. Phileo é o amor perene. Ágape é o amor para o outro. Eros é o amor pelo outro. Phileo é o amor com o outro.

Embora sublimes, todos os três, minha preferência está em phileo. Primeiro porque é o elo que alimenta os outros amores. Sempre encarei a relação com Deus como amizade. E não acredito em amantes que não sejam amigos. Amantes que não são amigos são corpos unidos – tesão. Devotos a Deus que não são amigos de Deus são mendicantes – interesse. Prefiro phileo porque Ágape é uma questão de fé, e eros uma questão de sorte. Experimentar o amor de Deus é algo de foro íntimo, pessoal, direção na qual ninguém pode forçar ninguém. Viver um grande amor, ficar apaixonado e “ser feliz para sempre” é algo que nem todo mundo consegue, e não acredito que os que conseguem sejam melhores pessoas do que os que não conseguem. Mas gosto mesmo de phileo porque é o amor de que, em tese, poderíamos prescindir e, provavelmente por isso, o mais socializado dos amores: quase todo mundo sabe o que é ter um amigo. Não somos tolos de dar as costas ao amor de Deus, apenas não sabemos direito como vivenciá-lo. Não somos tolos em dar as costas ao romance, apenas não sabemos como cultivá-lo. Mas poderíamos das as costas às amizades, principalmente se acreditamos estar sob o amor de Deus e abrigados num romance. “A amizade é tão desnecessária quanto a filosofia, a arte, o próprios Universo (pois Deus não precisava criar). Ela não tem valor de sobrevivência; pelo contrário, é uma daquelas coisas que dá valor à sobrevivência”.

Creio na amizade como a mais elevada expressão de amor humano. C.S. Lewis chamou a amizade de “prato principal no banquete da vida”. Disse que, se tivesse que dar um conselho a um jovem a respeito de um bom lugar para viver, diria: “Sacrifique quase qualquer coisa para estar perto de seus amigos”, pois considerava a amizade “a melhor das coisas deste mundo e a mais importante felicidade da vida”. Ralph Waldo Emerson disse que “felicidade é a casa que abriga o amigo”.

Amigos são aqueles com quem podemos viver sem máscaras, porque não tememos ser rejeitados. Amigo é aquele que conhece você por dentro e, mesmo assim, continua seu amigo. O relacionamento de vocês extrapolou a fase dos possíveis desapontamentos e condições para a manutenção da amizade. A Bíblia diz que “há amigo mais chegado que um irmão”. A amizade é o espaço privilegiado do crescimento pessoal, pois “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro”. E não esqueça, “ferro com ferro” implica atrito, e todo atrito esquenta e faz faísca. Por isso, amigos que não se estranham, que não debatem pontos de vista divergentes, que não se questionam mutuamente, na verdade, não são amigos. “Melhor é a repressão feita abertamente do que o amor oculto”, isto é, a amizade que sobrevive as custas da omissão reflete um amor de pouco valor.

Minhas palavras seriam poucas e insuficientes em intensidade para descrever o valor da amizade. Por isso escolhi como últimas, as palavras de Henri Nouwen, um dos mais celebrados mentores espirituais contemporâneos, para encorajar você na direção da amizade.

Um amigo na verdade não é alguém que pode resolver todos os seus problemas ou tem respostas para todas as perguntas. Também não é alguém que vai embora quando não há nenhuma solução ou resposta, mas fica com você, permanece fiel a você. Muitas vezes, quem nos dá maior conforto não é a pessoa que diz: “Faça isso, diga aquilo, vá lá”; mas quem, mesmo se não há nenhum bom conselho para dar, afirma: “Não importa o que acontecer, eu sou seu amigo; você pode contar comigo”. Quanto mais velho você se torna, mais descobre que sua alegria e felicidade dependem de tais amizades. O grande segredo da vida é que o sofrimento frequentemente parece ser tão insuportável que pode se tornar, na compaixão, uma fonte de vida e esperança novas. A amizade é um dos maiores dons que um ser humano pode receber. É um vínculo que ultrapassa objetivos, interesses ou histórias em comum. É um vínculo mais forte do que aquele que a união sexual pode criar, mais profundo do que o que um destino partilhado pode solidificar, e ainda pode ser mais íntimo que os laços do matrimônio ou da comunidade. A amizade é estar com o outro na alegria e na tristeza, mesmo quando não podemos aumentar a alegria e diminuir a tristeza. É uma união de almas que confere nobreza e sinceridade ao amor, fazendo a vida brilhar intensamente. Abençoados são aqueles que dão a vida pelos amigos. 

Trecho do livro “Vivendo com Propósito” de Ed René Kivitz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s