perfil · viagem

Bonita e Corajosa

bonitaecorajosa

Ela carrega uma enorme bolsa azul. Em seu chapéu, a foto do Padre Cícero colada com fita Durex. O vestido é simples como a fala. À sombra de uma árvore, na praça dos Socorros, em Juazeiro do Norte (CE), come um pão com queijo manteiga. Depois desse, só restam mais três pães, guardados na bolsa para comer até quarta-feira – daqui a três dias -, quando voltará para casa, no sertão pernambucano. Maria tem 70 anos e está casada pela terceira vez, com um homem de 49. Se esse também morrer, garante, não ficará sozinha. Vai arrumar outro. Teve apenas uma filha, precisa de marido.

Viajou um dia inteiro em um pau de arara para participar da Romaria de Finados. Já esteve em Juazeiro 13 vezes, não porque tenha feito alguma promessa, mas pelo apreço que tem ao seu painho Padim Ciço. Fala dele com admiração e reverência. “Venho pra romaria porque sou matuta”, diz, como para me explicar que acredita em Cícero porque é daqui e não poderia acreditar em outra coisa. “Eu entendo só de coisas simples, como as que o Ciço fala. Não entendo essa língua que vocês de longe vêm pra conversar”, esclarece.

Maria me conta de outros anos em que subiu a Serra do Horto, a alguns quilômetros do centro da cidade, em um sol acima de 35 graus. Hoje não faz mais isso. Sobe com o ônibus.
Para estar aqui, pagou R$ 25 pela cama de uma pousada próxima da praça dos Socorros, no centro de Juazeiro. Mas não come no lugar. Pergunto o que irá comer nos próximos três dias, quando acabarem os três pães. Ela não sabe. Terá fé no Padim Ciço, me diz, porque quando pensa nele não sente “nem fome nem sede nem nada”. Ofereço um segundo copo de água e ela aceita. Não gosta da água gelada que servimos, mas confessa que tem muita sede. Levanto para ir buscar outra água e Maria tira o copo de minha mão. “Não precisa ir agora. Pode sentar e conversar mais. Eu não quero muito a água, não”.

Com duas palavras se define: bonita e corajosa. Confirmo, e reforço que também é muito amada. Ela diz que é verdade mesmo. Aquele que está Lá Em Cima a ama muito. Aconselha-me a nunca ficar longe d’Ele, ou ficarei sem rumo na vida. “Se perder a fé, vai perder tudo”, alerta-me. Fico ali até ela terminar seu almoço. Quando trago a água – dois copos, em temperatura ambiente, beija minhas mãos, emocionada. Para ela, sou uma santa enviada por Deus. Para mim, ela é onde eu olho e vejo a Ele.

Juazeiro do Norte – CE

Novembro/2011

Inicialmente publicado em Ultimato Jovem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s